Receitas do Mundo !!!!!!!!


Gastronomia Espanhola




De maneira geral, na Espanha come-se:

No Sul: porco e arroz
No Norte: carne de vaca e batatas
No Centro: carneiro e grão-de-bico
No litoral: peixe e mariscos.






Tradicional e sofisticada, a cozinha espanhola se revela diferente e saborosa em cada uma de suas regiões. Por outro lado, alguns pratos como a paella, o cocido, a tortilla e o gazpacho são conhecidos e produzidos em quase todo o país. Determinados ingredientes também fazem a alegria de grande parte dos espanhóis. Açafrão, azeite de oliva, alho e pimentão são algumas das marcas registradas dessa especialidade culinária.


Referências:

1. Os feijões em espanhol são conhecidos, em diversas regiões, como frijoles, frejoles, judías, porotos, chingadillas, granos, pochas, fabas (não confundir com habas), chícharos, caraotas, alubias ou habichuelas.
2. O piri-piri ou malagueta e também os pimentos, em espanhol são conhecido, em diversas regiões, pelos nomes ají, chile ou chili, pimiento, guindilla, morrón e peperonchino.





Alguns pontos em comum na gastronomia  espanhola, pelas diferentes regiões.
A utilização do azeite de oliva como gordura culinária, tanto em cru como para fritar. Até o início do século 20 isso não era tão comum; usava-se gordura animal, principalmente a manteca de cerdo (banha de porco).
O sofrito (refogado) como início de preparação de muitos pratos.
Alho e cebola como principais condimentos.
Pão como acompanhamento da maioria das refeições, que possui diversas formas de ser fabricado e com muitas variedades em cada região.
Grande consumo de saladas, especialmente no verão.
Postre (sobremesa) composto por uma fruta ou um produto lácteo, como o queijo. Os doces, como tartes (tortas) ou pasteles (bolos) normalmente são feitos em dias especiais ou festas.
Apesar da enorme variedade de receitas que compõem a cozinha espanhola, algumas podem ser consideradas comuns a todo (ou quase todo) o território, embora algumas sejam sempre associadas a seus lugares de origem. Como exemplo temos a tortilla de patata (omelete de batata), o gazpacho (sopa fria de vegetais), a paella (que por ser originária de Valência é chamada em Portugal de arroz à valenciana), os pistos (espécie de ratatouille), as açordas migas (espécie de sopa/cuscuz à base de pão), o sembutidos (jamón serrano, chorizo, morcilla) e os quesos (queijos).
Outra característica dessa culinária são os pratos à base de grãos(garbanzos, lentejas, judías), os cocidos (cozidos) e os potajes (sopas de grãos e verduras). No entanto, eles contam com variações regionais importantes.
Porém, o maior encontro das diferentes regiões espanholas na gastronomia acontece provavelmente nas sobremesas e doces. Os mais representativos são o flan, as natillas, o arroz con leche (arroz-doce), as torrijas (rabanada), as magdalenas (bolinhos) e os churros.
Tudo isso, especialmente as refeições principais, vem acompanhado de outro produto muito apreciado no país: o vinho.




Ingredientes:
2 xícara(s) (chá) de arroz
3 1/2 xícara(s) (chá) de água
1/4 unidade(s) de cebola
1 dente de alho picado(s)
  • 2 colher(es) (sopa) de óleo de soja

1 colher (sopa) de sal
3 gr de açafrão
100 gr de uva passa
1 xícara (chá) de ervilhas cozida(s)

Preparação:

 Misture em um refratário o arroz, a água, a cebola, o alho, o óleo, o sal e o açafrão. Leve ao microondas destampado por 18 a 20 minutos na potência alta.
Retire e acrescente a uva passa e as ervilhas. Mexa bem.
Tampe e deixe em tempo de espera por 15 minutos.





Tortilha com chouriço e pimento

Tortilha com chouriço e pimento

Ingredientes:

500 gramas
batatas vermelhas
  qb
sal
2 colheres sopa
azeite
1 unidade
cebola cortada às fatias
1 unidade
pimento cortado às fatias
1 unidade
dente de alho esmagado
8 unidades
ovos
1 unidade
chouriço
1⁄4 chávena
salsa picada
batatas







Preparação:

 Coloque as batas a cozer. Escorra as batatas e volte a colocar na panela. Pré-aqueça o forno a 200ºC. Coloque a cebola, o pimento e o alho numa frigideira com azeite. Deixe cozinhar 12 minutos ou até que os vegetais estejam macios e dourados, mexendo ocasionalmente. Misture os ovos, o chouriço e salsa picada até ficar bem misturado. Delicadamente misture as batatas e mistura da cebola. Na mesma frigideira coloque mais um pouco de azeite e a mistura de ovo. Leve ao forno e asse por 22 a 24 minutos ou até a faca inserida no centro saia limpa. Retire do forno. Coloque um prato redondo grande de cabeça para baixo em cima de frigideira. Vestindo luvas de forno para proteger suas mãos, e segurando o prato e a frigideira com firmeza, inverta rapidamente a tortilha no prato. Corte em fatias e sirva.


 http://asminhasreceitas.com/receita/tortilha-com-chourico-pimento




Roscon de Reyes (Espanha)

Roscon de Reyes (Espanha)

Este bolo, equivalente ao nosso bolo-rei, é uma tradição, em Espanha e países latinos (sobretudo México e Argentina), na celebração do Dia de Reis, a 6 de janeiro. Trata-se de um pão doce, em forma de rosca, perfumado com raspas de citrinos e geralmente aromatizado com água de flor de laranjeira (água de azahar), sendo enfeitado com frutos secos, frutas cristalizadas ou confeitos coloridos, em alusão às coroas dos reis magos. O bolo é frequentemente recheado com chantilly, creme de pasteleiro ou outros a gosto e, na massa, são escondidos presentes ou figuras dos reis magos, de Maria ou de São José.
É geralmente servido com um copo de chocolate quente, na noite que antecede o dia de reis ou no próprio dia, ao pequeno-almoço ou lanche.

Ingredientes:

Para a massa-base:
½ colher (chá) de açúcar
35 ml de leite
5 g de fermento biológico fresco
65 g de farinha de trigo
Para a massa principal:
1 ovo grande
1 pitada de sal
225 g de farinha de trigo
30 ml de leite
35 g de manteiga
60 g de açúcar
7 g de fermento biológico fresco
água de flor de laranjeira (opcional)
raspas de ½ laranja
raspas de ½ limão
Para o recheio:
chantilly
ou creme de pasteleiro
Para a decoração:
1 ovo batido
açúcar q.b.
frutas cristalizadas q.b.

 

Confeção:

Comece por preparar a massa-base, dissolvendo o fermento no leite. Junte a farinha e o açúcar, misture e forme uma pequena bola.
Mergulhe a bola de massa num recipiente com água morna e deixe levedar cerca de 10 minutos. A massa estará pronta a ser utilizada quando tiver aumentado o seu volume inicial e começar a flutuar.
Para a massa principal, comece por aromatizar o açúcar com as raspas dos citrinos e, em seguida, desfaça o fermento no leite.
Misture a farinha, os ovos, o leite com fermento, a água de flor de laranjeira, o sal, o açúcar aromatizado e a massa-base, já fermentada.
Amasse bem (cerca de 5 minutos) e misture a manteiga, aos poucos.
Bata bem a massa mais uns minutos, até que se solte das mãos, fique lisa e elástica.
Forme uma bola, coloque-a num recipiente de vidro e cubra com película aderente, untada com um fio de azeite (o que evitará que a massa, depois de crescer, se cole à película), e deixe levedar cerca de 3 a 4 horas, até dobrar de volume.
Forme uma rosca, abrindo um buraco no centro da bola, tendo o cuidado de deixar todos os lados com o mesmo volume de massa.
Coloque a rosca num tabuleiro forrado com papel vegetal, distribuindo bem a massa. Coloque um aro no centro, para que a rosca não se deforme, tape o tabuleiro com um pano e deixe crescer uns minutos.
Pincele delicadamente o bolo com o ovo batido.
Prepare uma pasta de açúcar, humedecendo-o com umas gotas de água.
Decore o bolo, intercalando frutas cristalizadas e pasta de açúcar por toda a superfície.
Leve ao forno, pré aquecido a 200º C. Passados 10 minutos, baixe a temperatura para os 180º C e deixe cozer, cerca de 30 minutos. Tape o bolo com papel de alumínio, uns minutos depois de iniciar a cozedura, para evitar que o açúcar e as frutas fiquem torrados.
Deixe o bolo arrefecer um pouco sobre uma rede e retire, cuidadosamente, o aro do centro, com o auxílio de uma faca.
Estando completamente fria, recheie a rosca com chantilly ou creme de pasteleiro e coloque no prato de servir.


http://www.docesregionais.com/roscon-de-reyes-espanha


Cocada de Páscoa (Brasil)

Cocada de Páscoa (Brasil)

Há muitas receitas do Brasil que são deliciosas, mas a cocada de Páscoa é daqueles doces capazes de nos deixar de água na boca. Os ingredientes desta sobremesa são simples (açúcar, chocolate, creme de leite, coco, leite condensado, margarina e ovos), a receita é muito prática e o resultado é uma sobremesa intensa e saborosa.  

Ingredientes:

1 colher (sopa) de margarina
1 embalagem de creme de leite
1 lata de leite condensado
100 g de coco ralado (ou em flocos)
200 g de chocolate preto ou meio amargo
3 ovos
6 colheres (sopa) de açúcar

Confeção:


Separa as claras das gemas do ovo e reserve.

Misture o leite condensado, as gemas, o coco e a margarina. Leve ao lume, mexendo sempre até obter uma consistência cremosa.

Deite num recipiente refratário (não muito grande) untado e reserve
Leve o creme de leite ao micro-ondas, em potência alta, durante 30 segundos. Retire, acrescente o chocolate partido e mexa até alcançar um creme homogéneo (o que poderá demorar um pouco).
Deite a mistura do creme de leite com o chocolate sobre a cocada e reserve.

Bata as claras em neve bem firme. Acrescente o açúcar (uma colher de cada vez) e continue a bater até fazer ponto de suspiro, ficando com um aspeto muito branco e brilhante.

Coloque o suspiro como cobertura do doce e leve ao forno médio para dourar (cerca de 10 minutos).

Retire do forno, deixe arrefecer e reserve no frigorífico. Sirva a cocada quando estiver bem fria.

 http://www.docesregionais.com/cocada-de-pascoa-brasil/#more-11614




Bom Bocado Especial (Brasil)
 Bom Bocado Especial (Brasil)


O bom bocado é um doce tradicional da cozinha brasileira feito à base de coco. É uma receita muito simples e fácil de fazer, indicada para qualquer ocasião.

Além da receita tradicional feita com coco, existem variantes com ingredientes-base como mandioca e fubá. É uma verdadeira delícia!

Ingredientes:

1 chávena de leite de coco puro
1 colher (sopa) de farinha de trigo
1 colher (sopa) de manteiga, derretida e fria
2 chávenas de açúcar
4 ovos inteiros + 5 gemas
6 colheres (sopa) de queijo curado, ralado fino

Confeção:


Misture bem as claras e as gemas, previamente coadas.

Acrescente o açúcar, a farinha e o leite de coco, misturando bem após cada adição. Passe esta mistura por um coador, para afilar a massa.
Junte a manteiga e o queijo, misturando novamente os ingredientes.
Deite o preparado em forminhas, untadas com manteiga e polvilhadas com açúcar.

Disponha as formas num tabuleiro e leve a cozer, em banho-maria, em forno moderado, durante cerca de 25 minutos.

Desenforme os bolos enquanto estiverem mornos e ponha-os em forminhas de papel.

 http://www.docesregionais.com/bom-bocado-especial/#more-7267



 Tiramisu com Rum

Tiramisu com Rum (Itália)

O tiramisu é uma sobremesa originária de Itália, que não é excessivamente doce e em que o sabor intenso do café contrasta com o cremoso queijo mascarpone.

Esta é daquelas receitas que, não sendo difícil de preparar, dá um toque de requinte à sobremesa, fazendo as delícias de todos.

Ingredientes:

1 pitada de baunilha
16 palitos La Reine
185 g de açúcar em pó
280 g de queijo mascarpone
4 claras
4 colheres (sopa) de rum
6 gemas
cacau em pó p/ polvilhar
café forte q.b.

Confeção:


Bata muito bem as gemas com 125 g de açúcar e perfume com baunilha.

Junte o queijo e bata em velocidade mais reduzida até obter um creme homogéneo.
Deite numa tigela, junte gradualmente o rum e reserve.
À parte, bata as claras em castelo e acrescente 60 g de açúcar sem parar de bater até as claras espessarem. Envolva-as na gemada, sem bater.

Deite o café numa taça e passe por ele os palitos, um a um, sem os deixar embeber demasiado.

Num pirex, disponha uma camada de palitos La Reine, tape com creme e alise com uma espátula. Repita as camadas e de­core com o restante creme.

Leve ao frigorífico para gelar e, antes de servir, polvilhe com cacau.


 http://www.docesregionais.com/tiramisu-com-rum/#more-2685




Comida marroquina

Com sabores exóticos e temperos variados, a culinária do Marrocos é conhecida por seu preparo sofisticado.

Assim que as entradas do jantar são servidas, a anfitriã chama seus convidados para se sentar à mesa com uma saudação típica - Bismillah - que, em árabe, significa "em nome de Deus" e é uma forma de agradecer a presença de todos. Tão logo os convidados se acomodam, o filho mais velho contorna a mesa em sentido anti-horário para o Shlal, um procedimento em que carrega um jarro de água morna na mão direita e uma bacia na esquerda para que todos lavem as mãos, um a um. O pai da família faz uma breve oração para desejar muita sorte, paz e uma boa refeição. Todos podem, então, se servir dos pratos preparados para a ocasião, uma fartura de saladas, sopas, espetinhos de carne, cozidos, massas e, para terminar, o imprescindível cuscuz..
Os pratos marroquinos têm um sabor único, diferente de tudo o que se conhece. As principais responsáveis por isso são as especiarias, usadas não apenas para realçar o sabor dos alimentos, mas também para estimular o apetite, ampliando as cores e perfumes das carnes e dos vegetais. Elas são derivadas das cascas, das raízes ou das sementes das plantas e dão às receitas marroquinas um tempero todo especial.
Um dos mais conhecidos condimentos é o Ras Al Ranout, que, na tradução literal, significa "seleção do lojista". Os donos das lojas de especiarias criam suas próprias combinações de temperos para serem vendidas e, depois, utilizadas na preparação dos pratos. Não existe uma receita específi ca para a mistura, que pode ter de cinco a 25 especiarias, entre pimentamalagueta, cominho, cardamomo, cravoda- índia, alecrim, tomilho e páprica, entre outros. Algumas versões diferentes costumam ter substâncias tão exóticas quanto a mosca-espanhola, espécie de besouro verde-metálico que - dizem - tem grande poder afrodisíaco. O Ras Al Ranout é usado principalmente para temperar carne de boi, de cordeiro ou aves.
Mas o segredo da culinária marroquina ser considerada por muitos gourmets e especialistas uma das melhores do mundo não está só na maneira como a comida é condimentada, claro, mas na mistura de sabores - salgados, doces, cítricos - que aguçam o paladar dos comensais. Uma dessas receitas, por exemplo, é o cuscuz. O tradicional prato do Marrocos é servido com inúmeros acompanhamentos, que vão desde o carneiro, a carne mais nobre da mesa marroquina, até frutos do mar, pescados nos portos de Rabat. Os grãos de semolina são cozidos em uma panela especial no vapor de um caldo de legumes ou de carne.
As influências das culturas andaluza e mediterrânea (principalmente a francesa) podem ser encontradas em diversas receitas marroquinas, como nas sopas de tomate, grão-de-bico e lentilha, nos assados com carne e no djaj mchermel, frango cozido com azeitonas e limões em compota. Mas uma característica que difere os pratos preparados no Marrocos das outras regiões é a presença obrigatória de alguns legumes, como o pimentão, e também de algumas frutas e castanhas que dão o toque agridoce às refeições. Laranjas, tangerinas e limões, assim como romãs, peras, tâmaras, amêndoas, nozes e uvas-passas, são utilizadas em diversas receitas, permitindo novas e exóticas combinações para o paladar. Muito comuns também são as combinações entre especiarias doces - canela, noz-moscada, gengibre - e picantes, como a páprica e as pimentas, intensificando os sabores.


http://mdemulher.abril.com.br/culinaria/reportagem/be-a-ba-da-cozinha/reportagem_470726.shtml 





 Os brigadeiros do Brasil 
Os brigadeiros do Brasil

No Brasil, nós gostamos de sobremesas frescas com frutas tropicais como os abacaxis, goiabas, bananas, maracujás, cajus e tantas outras. Sendo um país formado por povos diferentes, temos uma variedade de receitas enormes influenciadas por estes imigrantes e também pela diversidade de nossas regiões e seus frutos exóticos. Mas o chocolate tem seu lugar de destaque e uma receita nossa que atravessou fronteiras e se tornou internacional é o nosso famoso e imbatível: Brigadeiro. Criado na década de 40 para a campanha do Brigadeiro Eduardo Gomes, daí seu nome, fez sucesso e permanece até hoje como um doce que apaixona a todos.
Fácil: 1 lata de leite condensado, 20 g de manteiga, e 80 g de chocolate em pó. Levar ao fogo lento até dar o ponto, quando começar a aparecer o fundo da panela. Deixar esfriar e enrolar pequenas trufas que são passadas em chocolate granulado e colocadas em forminhas. 


http://www.receitas-sem-fronteiras.com/artigo-898-a-volta-ao-mundo-em-10-sobremesas-de-chocolate.htm#topic-8






O bolo de chocolate com amêndoas do Marrocos
 O bolo de chocolate com amêndoas do Marrocos

No Marrocos eles adoram receitas  doces. Terminar uma refeição toda em doçura é perfeito: Cigares, Baklavas, Ghribas, Chifres de gazela e tantas outras delícias... Existem também as guloseimas de chocolate como o famoso Bolo de chocolate com amêndoas.

Veja como é feito:

Derreter em banho-maria 200 g de chocolate e 150 g de manteiga; colocar numa tigela e acrescentar 4 ovos (um a um) e 1 colher (de sopa) de farinha e 100 g de amêndoas em pó e misturar muito bem em cada acréscimo. Acrescentar 11 g de fermento e misturar bem. Colocar na forma untada e enfarinhada e levar ao forno, a 180° C , por 35 minutos. Prepare uma cobertura com 100 g de chocolate e 50 g de manteiga, derretidos em banho-maria. Retire o bolo da forma, coloque no prato de apresentação e cubra com o chocolate e 50 g de amêndoas em lâminas torradas.


 http://www.receitas-sem-fronteiras.com/artigo-898-a-volta-ao-mundo-em-10-sobremesas-de-chocolate.htm#topic-8

 


Chocolate biscuit cake na Inglaterra



 Chocolate biscuit cake na Inglaterra

Na Inglaterra, existem muitas especialidades doces como o famoso Pudding, Eton mess, Carrot cake e outros que são degustados como sobremesa ou no chá. Para as sobremesas inglesas de chocolate podemos citar os shortbreads ou os chocolate biscuit cakes.

Veja a receita:

Derreter 225 g de chocolate amargo com 110 g de manteiga em banho-maria. Acrescentar 230 g de "digestive biscuits" (seu nome se deve ao fato de que são feitos com bicarbonato de sódio), quebrados. Misturar bem e despejar em forma de cake recoberta de papel manteiga. Deixar esfriar na geladeira por 4 horas.


 http://www.receitas-sem-fronteiras.com/artigo-898-a-volta-ao-mundo-em-10-sobremesas-de-chocolate.htm#topic-8




 O Fondant au chocolat na França
 O Fondant au chocolat na França

Na França existem muitas sobremesas famosas e tradicionais como os éclairs au café, mille-feuilles, bavarois e muitas outras delícias. Mas quando se fala em sobremesas de chocolate aí, então a criatividade é enorme: coulant au chocolat, fondant au chocolat, religieuses au chocolat, mousse au chocolat... e aí por diante.

Para a receita de fondant au chocolat:

Derreter 200 g de chocolate em banho-maria, acrescentar 120 g de manteiga. Juntar 125 g de açúcar, 3 ovos, e 50 g de farinha, misturando bem a cada acréscimo. Colocar em forma redonda sem  furo, untada com manteiga e enfarinhada e levar ao forno, a 190° C, por 15 minutos. 


http://www.receitas-sem-fronteiras.com/artigo-898-a-volta-ao-mundo-em-10-sobremesas-de-chocolate.htm#topic-8




O murzynek da Polônia
O murzynek da Polônia

Na Polônia eles gostam de sobremesas com um toque de mel, grãos de papoula, como o Babka, que é um bolo de chocolate em forma de coroa. Mas também o Pernick que é um pão com canela, mel e cravos ou o Placek, um bolo com fermento e uvas.

Para fazer um Murzynek:

Derreter 250 g de manteiga em banho-maria, acrescentar 200 g de chocolate em pó e depois 200 g de açúcar e misturar bem. Acrescentar 100 ml de leite, 150 g de farinha e 4 ovos, misturando muito bem a cada acréscimo. Colocar 1 colher (de café) de fermento, misturar de novo, despejar em forma sem furo, untada com manteiga e enfarinhada. Levar a assar em forno a 180° C, por 50 a 55 minutos. para a cobertura, derreter 100 g de chocolate, colocar 20 g de manteiga, 50 g de açúcar de confeiteiro e 30 g de coco. Cobrir o bolo, depois de frio, e degustá-lo...




O lamington da Austrália

O lamington da Austrália

A Austrália é mais conhecida por suas paisagens, seu mar de coral que por sua gastronomia, no entanto existem receitas tradicionais e algumas especialidades de sobremesas. O famoso pêssego Melba é uma especialidade australiana, foi a cantora Nellie Melba que lhe deu seu nome. A Pavlova, em homenagem à dançarina russa, que é um suspiro recoberto de chantilly e frutas frescas ou ainda o Lamington.

Eu lhe proponho a receita de Lamington:

Misturar 6 ovos com 200 g de açúcar, depois juntar 60 g de manteiga e 250 g de farinha. Derramar a massa em uma forma quadrada, untada com manteiga e enfarinhada e levar ao forno, a 180° C , por 20 minutos. Derreter 100 g de chocolate em banho-maria, acrescentar 150 ml de creme de leite e 60 g de manteiga. Corte o bolo em quadrados, envolva no ganache de chocolate e depois numa tigela com 65 g de coco ralado. Depois é só degustá-los com um café ou chá.



http://www.receitas-sem-fronteiras.com/artigo-898-a-volta-ao-mundo-em-10-sobremesas-de-chocolate.htm#topic-8




O Nanaïmo do Canadá

O Nanaïmo do Canadá

Os nossos amigos canadenses gostam de cozinhar e têm um monte de receitas para sobremesas tradicionais. Quem não conhece o Pudding du chômeur (pudim do desempregado), este doce data dadada crise de 1929, onde o tempo de fazer economias obrigava as famílias a prestar atenção e usar produtos baratos, e cozinhar sobremesas baratas como pancakes, tortas de xarope de bordo. O Nanaïmo é da região de Nanaïmo, daí o seu nome.
Esta é uma sobremesa feita de três camadas e a receita é : 

Derreta 120 g de chocolate com  110 g de manteiga em banho-maria, adicione 60 ml d mel e junte100 g de biscoitos tipo Graham (tipo de crackers feito com farinha integral e farelo de trigo) ou similares bem quebrados. Despeje em uma forma de cake coberta com papel manteiga e reserve 30 minutos na geladeira. Em uma tigela, misture 120 ml de leite com 150 g de pó para pudim, 90 g de açúcar de confeiteiro e 60 g de manteiga amolecida. Adicionar à base de chocolate e voltar à geladeira. Coloque em uma tigela, 110 g de chocolate, adicione 60 g de manteiga, derreta em banho-maria e despeje sobre o creme, e retomar mais 3 horas na geladeira. Corte quadrados de 5 x 3 cm e é só degustar.



 http://www.receitas-sem-fronteiras.com/artigo-898-a-volta-ao-mundo-em-10-sobremesas-de-chocolate.htm#topic-8



A Floresta negra da Alemanha
 A Floresta negra da Alemanha

A cozinha alemã é rica e diversificada, mesmo se conhecemos mais sua cerveja e embutidos. Nas sobremesas, gostamos de saborear as tortas, strudels, bavarois, bolo recheado... Quanto às sobremesas de chocolate a mais conhecida das receitas é certamente a Floresta negra e é feita a partir de uma génoise de chocolate.

Vamos à receita:

4 ovos batidos com 125 g de açúcar até formar uma linda espuma, acrescentar 60 g de farinha, 25 g de maisena e 25 g de cacau (ou chocolate) em pó, misturando sem desfazer a espuma. Colocar em forma, sem furo, untada e enfarinhada e levar ao forno, a 170° C, por 20 a 25 minutos. Bater um chantilly com 30 cl de creme fresco e 30 g de açúcar de confeiteiro. Cortar a genoise ao meio e salpicar as duas partes com a calda das cerejas (um vidro ou lata), colocar uma camada de chantilly e algumas cerejas. Colocar a outra metade por cima, cobrir todo o bolo com o restante do chantilly e decorar com o restante da cerejas. Você pode também completar a decoração com raspas de chocolate em barra.



http://www.receitas-sem-fronteiras.com/artigo-898-a-volta-ao-mundo-em-10-sobremesas-de-chocolate.htm#topic-8

Sem comentários:

Enviar um comentário

Deixe o seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...