Prazo de validade dos alimentos


Foto: Prazo de Validade dos Alimentos... saiba tudo, aqui!

http://arcoirisnacozinha.blogspot.pt/2012/06/prazo-de-validade-dos-alimentos.html


Prazo de validade dos alimentos: esclareça todas as dúvidas

Em 2008 um homem britânico foi notícia porque decidiu efectuar uma experiência comendo apenas alimentos fora do prazo de validade durante duas semanas. O objectivo era provar que se deitam fora toneladas de comida quando ainda se poderiam comer sem prejuízo para a saúde. Parece que não morreu nem sofreu de indigestão, mas a questão é pertinente. Afinal, que critérios presidem à definição dos prazos de validade dos alimentos? Hugo Vieira, consultor alimentar da 4HSA, uma empresa de consultoria em segurança alimentar, diz-nos até quando podemos comer...

... iogurtes.
Podem ser consumidos um ou dois dias depois do prazo sem problema, apesar de começarem a perder características nutricionais. Em qualquer destes casos, "considere alterações de cheiro e sabor como alertas vermelhos, já que podem indiciar multiplicação de microorganismos potencialmente perigosos como staphilococus ou mesmo salmonelas".

... leite.
Pode eventualmente ser consumido até alguns dias depois do prazo. Já no leite do dia a margem é menor e não convém ultrapassar o prazo indicado. "Isto acontece porque o primeiro é sujeito a uma temperatura muito elevada num período de tempo muito curto, o que elimina praticamente todas as potenciais bactérias. No segundo, a esterilização é feita a uma temperatura menor e num tempo mais alargado, o que apesar de contribuir para o leite manter as características em termos de sabor, o torna mais sujeito a contaminação", explica Hugo Vieira.

.... queijos.
Com o tempo costuma aparecer bolor que pode conter toxinas nocivas. "Um ponto pequeno poderá ser retirado sem prejuízo, mas há sempre algum grau de perigo já que o bolor (à excepção dos queijos onde é suposto tal acontecer) indicia sempre uma quebra da barreira biológica do alimento, o que permite a entrada de toxinas que podem estar presentes mesmo de forma não visível".
... sobremesas do tipo pudin flan, mousse de chocolate ou leite-creme.
 Não convém deixar passar o prazo já que são produtos processados e com muitos nutrientes, nomeadamente ovos, pelo que o risco de contaminação com staphilococus e salmonelas é grande.

... alimentos congelados.
Em geral podem ser conservados quase um ano a um ano e meio sem problemas, desde que sejam mantidos a menos de 18ºC, já que o frio impede o desenvolvimento de micro organismos. Em regra, quanto menos processado for o alimento mais tempo irá conservar-se sem alterações. Refeições prontas e gelados, por exemplo, têm mais elementos na composição o que os torna menos estáveis mas não perigosos. As gorduras poderão alterar-se e desenvolver-se algum sabor a ranço. Os alimentos congelados à saída da fábrica, sofrem uma congelação muito rápida que mantém os nutrientes intactos, e serão mais seguros do que os congelados em casa. Mas em qualquer caso, o elemento determinante é sempre a manutenção da cadeia de frio. Uma quebra nesta cadeia (seja no transporte para o supermercado ou para sua casa) diminui a margem de conservação. Sinais disto mesmo são a formação de cristais de gelo no interior ou a presença de humidade na embalagem de cartão. Neste caso, não deverá deixar passar o prazo.

... molhos.
Antes de abertos conservam-se bastante bem algumas semanas para além do prazo indicado, mas depois convém ter mais precaução.

... maionese.
É um produto muito sensível e a sua conservação vai depender do cuidado que se tiver na manipulação. "É fácil haver contaminação com staphilococus ou salmonelas. Basta um descuido com a colher que se usa para retirá-la do frasco, por exemplo.

...ketchup.
É mais ácido e por isso mais resistente. Pode durar um mês conservado no frigorífico, assim como a mostarda.

... molhos de tomate para cozinhar.
São bastante sensíveis e podem criar fungos e bolores que produzem toxinas prejudiciais mesmo dentro do prazo. Mesmo que retire o bolor visível, é provável que haja mais microorganismos presentes pelo que não deve consumi-los de todo neste caso".

... carne fresca.
 Pode deixar passar um ou dois dias se mantiver a cadeia de frio intacta e não houver sinais de alteração. "No caso da carne picada não dê margem alguma. É que ao picar-se quebra-se a sua barreira biológica, o que facilita o desenvolvimento de bactérias e permite a proliferação de micro organismos".

... charcutaria fresca.
Como os fiambres e mortadelas são produtos sensíveis, devem ser consumidos apenas dentro do prazo. Tenha especial atenção à formação de um biofilme de gordura no exterior, "possível sinal de microorganismos que podem causar febres e diarreias ou até malformações do feto em grávidas".

... produtos fumados.
São mais estáveis porque a fumagem destrói grande parte dos microorganismos e o sal que contêm também actua como conservante. Se vieram embalados em vácuo conservam-se bastante tempo e podem ser consumidos eventualmente algumas semanas depois do prazo sem risco.

... farinha
 Pode durar anos sem que se estrague. Poderá eventualmente haver alteração da propriedade das leveduras, o que faz com que se torne menos eficaz a levedar um bolo ou a fazer pão.

... leite em pó.
 Também dura bastante tempo desde que não apanhe humidade e esteja numa embalagem fechada.

... bolachas e tostas.
Quando muito poderão ficar moles com o tempo, um sinal de migração de oxigénio para dentro da embalagem, mas em geral duram bastante tempo, especialmente se as embalagens não forem abertas.

... café e chá.
Duram anos, sobretudo se estiverem hermeticamente fechados. Como são confeccionados com água a ferver o perigo de contaminação também é menor. Se cheirarem a mofo, contudo, é preferível deitar fora.

... chocolate de culinária.
Pode durar indefinidamente, mesmo que perca algumas propriedades (costuma embranquecer) não apresentará perigo para a saúde.

... enlatados
 Duram anos, devendo apenas estar atenta a sinais de empolamento ou outros danos nas latas. Neste caso, não facilite.

... azeite.
Aconselha-se o consumo no espaço de um ano, mas tudo depende da forma de acondicionamento. Deve sempre ser guardado no escuro já que a luz altera as suas propriedades. Se estiver exposto à luz no espaço de venda ou em casa poderá sofrer alterações. Cheiro a ranço é sempre um indicador disto mesmo.

... vinagre.
 Também dura bastante tempo e mesmo que perca qualidades não apresentará perigo para a saúde.

.... sumos e refrigerantes.
 Sumos de fruta em garrafas de vidro não devem ser expostos pois a luz solar degrada rapidamente a vitamina C que contêm. Esta é um dos elementos conservantes pelo que a sua degradação pode comprometer a conservação no tempo recomendado. Já os refrigerantes duram mais tempo ainda que possam perder propriedades comerciais.


Uma questão de prazo:
A menção do prazo de validade na embalagem é obrigatória. Apenas os produtos hortícolas frescos sem processamento estão dispensados desta obrigação, tendo no entanto de exibir a data em que foram embalados. Obviamente, o principal objectivo é garantir a segurança do consumo, mas não só. "O prazo também garante características comerciais como o sabor, cor ou textura, que o fabricante assegura que se manterão estáveis durante o período indicado", explica o consultor alimentar. Depois da data indicada no rótulo, o alimento não está forçosamente estragado mas pode não corresponder aos parâmetros de qualidade da altura da compra.
Claro que consumir alimentos fora do prazo de validade deve ser a excepção e não a regra, mas nem sempre o lixo terá de ser o destino final de um produto que pode estar em perfeitas condições, apesar de expirado. Em todo o caso, para consumi-lo em segurança há factos que convém saber:
- Por regra, quanto mais reduzido é um prazo e mais específica a sua data de validade, menos margem haverá para o consumir depois.
- Em geral, quanto mais água e gordura tiver na sua composição, mais rapidamente um alimento se irá deteriorar e menos flexibilidade haverá no seu consumo para além do prazo.
- Mesmo dentro do prazo, um alimento pode deteriorar-se rapidamente se for sujeito a uma manipulação ou conservação deficientes (calor ou contaminação).
- Qualquer embalagem que esteja empolada deve ser rejeitada já que este ‘inchaço' é um provável indício da existência de dióxido de carbono no interior, uma reacção que se dá quando há proliferação de microorganismos.





 Foto: Antes de preparar seus cozinhados (refeições), vale a pena conferir algumas dicas de como conservar os alimentos mais correctamente (corretamente) no frigorífico (geladeira) ;)

✹ Tire tudo de dentro da geladeira para poder limpá-la. Acomode os alimentos sobre uma superfície limpa. O que estiver congelado pode ser colocado dentro de sacolas térmicas ou geladeiras de isopor.

✹ Descarte imediatamente os alimentos vencidos ou estragados.

✹ Pequenas sobras de comida podem ser armazenadas em potes de plástico ou de vidro. Prefira os transparentes e em formato quadrado ou retangular, que se encaixam nos cantos. Guarde as sobras juntas para ficar mais fácil de visualizar no dia a dia e não desperdiçar. Você também pode etiquetar os potes facilmente utilizando pedaços de fita crepe e uma caneta. Deixe esses itens na cozinha, pois precisará sempre deles.

✹ Carnes devem ser guardadas no congelador ou no lugar mais frio da geladeira, se o consumo for no mesmo dia. Nunca lave as carnes, pois a água não é pura e pode conter bactérias que, misturadas à carne, contaminarão o alimento.

✹ A gaveta grande da geladeira serve para manter os legumes e verduras frescos. Procure manter esses alimentos em saquinhos, pois isso aumenta a sua durabilidade e ainda mantém a gaveta limpa. Somente as frutas maduras ou já cortadas devem ser guardadas na geladeira. O restante pode permanecer em temperatura ambiente.

✹ Na porta, dê preferência para bebidas e todos os mantimentos que forem armazenados em garrafas ou potes.

✹ Ovos não podem ser guardados na porta, pois estragam mais rápido.

✹ Procure etiquetar todos os alimentos guardados em potes de plástico ou vidro, tanto na geladeira quanto no congelador. É interessante colocar também a data de validade em cada uma das etiquetas. Existem etiquetas reaproveitáveis vendidas em lojas de produtos organizadores;

✹ Você pode usar cestos de plástico para setorizar os alimentos na geladeira, se as prateleiras forem grandes. Quem tem crianças em casa pode ter uma cestinha para lanches e petiscos na altura dos miúdos (crianças), para que eles mesmos tenham acesso.

✹ Você também pode ter uma cestinha para artigos do pequeno almoço (café da manhã) assim, quando puser a mesa, basta pegar a cestinha com tudo dentro.

✹ Tome cuidado para não sobrecarregar a geladeira, pois o ar precisa circular. Por esse motivo, evite colocar toalhinhas e outros tipos de obstruções nas prateleiras.

✹ Também é importante tomar alguns cuidados básicos com relação à limpeza da geladeira. Utilize sempre panos úmidos e a menor quantidade possível de produtos químicos, para evitar contaminação (afinal, a geladeira fica o tempo todo fechada). Você pode misturar um pouco de água morna com bicarbonato de sódio (1 colher de sopa para cada 2 litros de água) e aplicar essa solução com um pano umedecido. Por fora, o refrigerador pode ser lavado com água e sabão ou produtos mais fortes, como limpadores multiuso.

✹ Lembre-se de semanalmente fazer uma seleção e jogar fora os alimentos vencidos. Depois dessa verificação, vale a pena fazer uma limpeza mais leve na geladeira, especialmente nas prateleiras. A limpeza mais profunda deve ser feita pelo menos uma vez por mês.

Organização com #PortugalDescomplicado

Sem comentários:

Enviar um comentário

Deixe o seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...