30/05/2014

Pavlova



Ingredientes:

6 claras em temperatura ambiente
1 pitada de sal
350 g de açúcar
1 colher (chá) de amido de milho
1 colher (chá) de vinagre
300 ml de creme de leite fresco
Morango, kiwi e maracujá para decorar

 




Modo de Preparo:
 

Pre-aqueça o forno a 180 °C. Forre uma forma redonda de 20 cm com papel-manteiga.
Coloque as claras com o sal em uma tigela limpa e seca, de vidro ou metal, e bata até formar picos macios. Sem parar de bater, adicione 1 colher (sopa) de açúcar de cada vez, até que o merengue fique liso e brilhante. Adicione então o amido de milho e o vinagre e bata mais um pouco.
Espalhe o merengue na forma e alise, formando um círculo. Leve ao forno por 5 minutos, depois reduza a temperatura para 140 °C e asse por mais 1 hora e 15 minutos ou até que a parte externa esteja quebradiça. Espere esfriar completamente, depois transfira para um prato de servir.
Bata o creme de leite até que fique firme e espalhe sobre a base de merengue. Decore com as frutas e sirva.



Dica: 
Você pode fazer a base de merengue com 1 semana de antecedência e guardá-la em recipiente seco, hermeticamente fechado.



 Obs:
O que é e de onde vem a PAVLOVA?
A pavlova é uma sobremesa em forma de bolo e a base de merengue cujo nome é uma homenagem à bailarina russa Anna Pavlova. É crocante por fora e macio por dentro, sendo por vezes decorada com frutos.
Esta sobremesa foi inventada depois de uma viagem de Pavlova à Austrália e Nova Zelândia, sendo que ambos os países reivindicam a invenção desta iguaria, o que é várias vezes fonte de conflito de opiniões entre os dois países.
É uma sobremesa muito popular e tem um grande importância na gastronomia destes dois países da Oceania, sendo muitas vezes servida em festas tradicionais como o Natal.
Algumas fontes indicam que a PAVLOVA é de origem neozelandesa, outras dizem ser originária da Austrália.
Todavia, a pavlova, bem como o biscoito ANZAC, foram registados pela primeira vez num livro sobre Cozinha da Nova Zelândia. Helen Leach, uma antropóloga especializada da Universidade de Otago (a mais antiga da Nova Zelândia), encontrou uma receita do doce num livro de 1933, o "Livro de Receitas da União de Mães de Rangiora". Também foi encontrada numa receita de uma revista rural neozelandesa de 1929. Alan Davidson declara ter encontrado esse bolo na Nova Zelândia em 1935.
Keith Money, biógrafo de Anna Pavlova, escreveu que um Chef de Hotel de Wellington criou o prato quando a bailarina ali se hospedou durante sua Turné mundial em 1926.
Em 2007 a Companhia de Seguros NZI (New Zealand Insurance) difundiu uma publicidade na televisão utilizando com humor ícones neozelandeses que seriam reivindicados pela Austrália, tais como a pavlova, o cavalo de corrida Phar Lap, a NZI e a filial da empresa australiana Insurance Australia Group.
Por outro lado, os Australianos reivindicam a pavlova como um invenção de Bert Sachse no l'Esplanade Hotel de Perth em 3 de outubro de 1935. O nome pavlova teria sido dado por Harry Nairn, no mesmo hotel. Os descendentes de Sachse afirmam que ele pode ter inventado a sobremesa antes disso, pois Anna Pavlova esteve na Austrália em 1926 e em 1929.


 Confira abaixo a receita do Livro "Cupcakes - bolos & doces", da editora Larousse.



http://cozinhadajanita.blogspot.pt/2011/11/pavlova.html

Sem comentários:

Enviar um comentário

Deixe o seu comentário.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...